Categorias
Desempregado

FGTS [2021]: Como Sacar Sem Perder Dinheiro

Você sabia que é possível sacar seu FGTS, integralmente, mesmo com pedido de demissão?

Neste artigo vamos revelar:

  • O que diz a nova lei;
  • Como funciona o saque do FGTS;
  • Quais são os riscos de sacar o FGTS da maneira errada;
  • Como sacar o FGTS da maneira certa (sem perder dinheiro).

Antes, o trabalhador só podia sacar o fundo de garantia mediante a algumas situações, como a demissão sem justa causa, rescisão por acordo, em caso de doença grave ou doença terminal ou na compra de um imóvel.

A Lei aprovada na Comissão de Assuntos Sociais no Senado prevê que todo trabalhador que pedir demissão tem direito de sacar o FGTS, integralmente. 

O que é o FGTS?

O Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) foi criado com o objetivo de proteger o trabalhador demitido sem justa causa, mediante a abertura de uma conta vinculada ao contrato de trabalho.

No início de cada mês, os empregadores depositam em contas abertas na Caixa, em nome dos empregados, o valor correspondente a 8% do salário de cada funcionário.

Como funciona o FGTS?

O empregador deve depositar, mensalmente, em uma conta bancária aberta em nome do trabalhador (na Caixa Econômica Federal) um valor correspondente a 8% do valor de seu salário.

O percentual de 8% do FGTS não é recolhido somente sobre o valor do salário, mas incide também sobre o total do valor pago em:

  • Horas extras;
  • Horas adicionais (noturno, periculosidade e insalubridade);
  • 13º salário;
  • Férias (salário + 1/3);
  • Aviso prévio (trabalhado ou indenizado).

Não há desconto desse valor no salário do trabalhador.

Como cadastrar para ver o saldo do FGTS?

Para sacar o FGTS, siga o passo a passo abaixo:

  1. Acesse o endereço www.caixa.gov.br/extrato-fgts.
  2. Informe o número do CPF, NIS ou e-mail.
  3. Clique em “Cadastrar”.
  4. Leia o regulamento e clique em “Aceito”.
  5. Preencha todos os campos com os seus dados pessoais.
  6. Crie uma senha com até 8 dígitos (com letras e números) e confirme.
  7. Você será direcionado para a tela de login novamente. 
  8. Preencha os campos com CPF, NIS ou e-mail, insira a senha cadastrada e clique no botão “Acessar”.

Quem tem o direito ao FGTS?

  • Todo trabalhador brasileiro com contrato de trabalho formal, regido pela Consolidação das Leis do Trabalho (CLT);
  • Trabalhadores rurais;
  • Trabalhadores temporários;
  • Trabalhadores avulsos;
  • Safreiros (operários rurais que trabalham apenas no período de colheita);
  • Atletas profissionais.

Quando posso retirar o FGTS?

A partir de 2020, os trabalhadores poderão sacar parte do dinheiro em suas contas no FGTS, uma vez por ano, na modalidade chamada de saque-aniversário.

Os interessados em migrar para os saques anuais terão de comunicar à Caixa, a partir de outubro de 2019. A mudança não é obrigatória.

Quem optar por receber uma parte do FGTS todo ano não poderá sacar o saldo total da conta se for demitido sem justa causa. Neste caso, só receberá a multa de 40% do FGTS, que não muda. Se mudar de ideia e quiser voltar ao modelo anterior (para poder sacar todo o saldo da conta quando for demitido sem justa causa), terá de fazer o pedido à Caixa e esperar dois anos para a mudança.

O período para fazer o saque vai depender da data de aniversário do trabalhador. Em 2020, a modalidade terá um calendário especial: 

  • Nascidos em janeiro e fevereiro: recebem de abril a junho
  • Nascidos em março e abril: recebem de maio a julho
  • Nascidos em maio e junho: recebem de junho a agosto 
  • Nascidos entre julho e dezembro: recebem no mês de seu aniversário

A partir de 2021, a liberação do saque ocorrerá sempre no primeiro dia do mês de aniversário do trabalhador. Por exemplo, para quem faz aniversário em 19 de julho, o saque estará disponível a partir de 1º de julho.

Categorias
Desempregado

Seguro Desemprego [2021]: Garanta Todos os Seus Direitos

Está desempregado e não sabe quais são os benefícios do governo?

Neste artigo vamos revelar:

  • Como funciona o seguro-desemprego;
  • Quem tem direito ao seguro-desemprego;
  • Como obter o seguro-desemprego da maneira certa (sem perder dinheiro).

Desempregado é aquele indivíduo que não tem emprego no momento, mas está à procura de um.

Como suporte aos desempregados, o governo oferece benefícios, como:

  • Bolsa Família;
  • Minha Casa, Minha Vida;
  • Tarifa Social de Energia Elétrica;
  • Entre outros. 

Para receber todos esses benefícios o cidadão deve ter o cadastro único na Caixa Econômica Federal.

Para se registrar no cadastro único, a família precisa ganhar até meio salário mínimo por pessoa ou receber uma renda mensal total de três salários mínimos

Para receber ajuda financeira do governo para desempregados por meio do cadastro único, você deve primeiro procurar o Centro de Referência em Assistência Social, que é o CRAS da sua cidade, e solicitar o cadastramento. 

O que é o seguro desemprego?

O seguro-desemprego integra o Programa do Seguro-Desemprego, destinado a prover assistência financeira temporária ao desempregado dispensado sem justa causa.

Também tem o objetivo de auxiliar o trabalhador na manutenção e busca de emprego, por meio de ações de intermediação de mão-de-obra e qualificação profissional.

Como funciona o seguro desemprego?

Atualmente, o trabalhador dispensado sem justa causa pode receber de três a cinco parcelas do seguro-desemprego, conforme o tempo trabalhado e o número de pedidos do benefício.

A parcela é calculada com base na média das três últimas remunerações do trabalhador antes da demissão.

Quanto tempo de trabalho você precisa ter para receber o seguro desemprego?

  • Se o trabalhador for solicitar o seguro-desemprego pela primeira vez, ele deve ter mantido um vínculo formal de emprego e ter recebido salário por pelo menos 12 meses (durante os últimos 18 meses antes da dispensa).
  • Tratando-se da segunda solicitação do benefício, o período mínimo é de 9 meses (nos últimos 12 meses antes da dispensa).
  • Já para as demais solicitações, basta ter mantido o contrato de trabalho nos 6 meses imediatamente anteriores ao seu término.

Você tem direito a quantas parcelas de seguro desemprego?

A quantidade de parcelas do benefício varia de três a cinco pagamentos, com base no tempo de vínculo empregatício.

Para a primeira solicitação:

  • 4 parcelas se o trabalhador comprovar vínculo empregatício de no mínimo 12 meses e no máximo 23 meses no período de referência;
  • 5 parcelas se o trabalhador comprovar vínculo de no mínimo 24 meses.

Para a segunda solicitação:

  • 3 parcelas se o trabalhador comprovar vínculo empregatício de no mínimo 9 meses e no máximo 11 no período de referência;
  • 4 parcelas se o trabalhador comprovar vínculo de no mínimo 12 meses e no máximo 23 no período de referência;
  • 5 parcelas se o trabalhador comprovar vínculo de no mínimo 24 meses no período de referência.

A partir da terceira solicitação:

  • 3 parcelas se o trabalhador comprovar vínculo empregatício de no mínimo 6 meses e no máximo 11 no período de referência;
  • 4 parcelas se o trabalhador comprovar vínculo de no mínimo 12 meses e no máximo 23  no período de referência;
  • 5 parcelas se o trabalhador comprovar vínculo de no mínimo 24 meses no período de referência.

Qual é o prazo para dar entrada no seguro desemprego?

  • O prazo para o trabalhador demitido dar entrada no requerimento do seguro-desemprego é entre 7 dias e 120 dias (após a rescisão do contrato de trabalho);
  • Já os trabalhadores domésticos têm entre 7 a 90 dias (contados a partir da data da dispensa).

Após este prazo, o trabalhador perde o direito ao benefício.

O desempregado tem direito ao Bolsa Família?

O desempregado tem direito ao Bolsa Família. Este é um programa do governo brasileiro que visa promover a cidadania, atuando no combate à fome e garantindo acesso à saúde e à educação às famílias mais socialmente vulneráveis. 

Porém, para receber o benefício é necessário fazer o cadastro único na Caixa Econômica Federal. Após o cadastro, você deverá esperar uma resposta do governo para confirmar ou recusar o benefício.

A seleção das famílias beneficiadas é feita todo mês. Caso sua família seja selecionada, o valor a ser recebido dependerá do número de filhos, renda mensal, entre outras especificidades.

Para garantir o benefício, a família deve cumprir exigências do programa, como: vacinar as crianças e garantir presença frequente na escola, sob pena de perder o acesso ao programa.

Categorias
Desempregado

Salário Maternidade [2021]: Garanta Todos os Seus Direitos

Salário maternidade ou licença maternidade é um benefício de caráter previdenciário, garantido às mães que se afastam do emprego nos estágios finais da gravidez ou logo após darem à luz.

O intuito desse benefício é criar um laço afetivo da criança com os seus pais. Por isso, a lei dá 120 dias para o gozo do benefício.

Neste artigo vamos revelar:

  • Como funciona o salário maternidade;
  • Quem tem direito ao salário maternidade;
  • Como solicitar o salário maternidade;
  • Quanto você vai receber de salário maternidade;
  • Quais são os documentos necessários.

Vamos lá?

Como funciona o salário maternidade?

Salário maternidade ou licença maternidade é um benefício de caráter previdenciário, garantido às mães que se afastam do emprego nos estágios finais da gravidez ou logo após darem à luz.

O intuito desse benefício é criar um laço afetivo da criança com os seus pais. Por isso, a lei dá 120 dias para o gozo do benefício.

Quem tem direito ao salário maternidade?

O salário ou auxílio-maternidade é garantido em casos de parto (antecipado ou não), de aborto não-criminoso e de adoção. Mães de bebês natimortos também têm direito ao benefício.

Para ter direito ao benefício, é preciso que, no dia do parto, da adoção ou do aborto, o segurado se enquadre nas seguintes regras:

  • Empregados, empregados domésticos e trabalhadores avulsos devem estar em atividade na data do afastamento.
  • Contribuintes individuais, trabalhadores facultativos e segurados especiais devem ter contribuído para a Previdência Social por pelo menos 10 meses.
  • Desempregados precisam comprovar que são segurados do INSS e, se for o caso, cumprir a carência de 10 meses de contribuição.
  • Caso o trabalhador tenha perdido a qualidade de segurado, precisará contribuir pelo menos 5 meses (metade da carência) antes do parto/evento gerador do benefício.

O salário-maternidade do empregado do microempreendedor individual deve ser requerido diretamente no INSS

Onde e quando pedir o salário maternidade?

A tabela abaixo é do site do INSS e mostra onde e quando pedir o salário-maternidade:

Salário-maternidade

Estou desempregada. Tenho direito ao salário maternidade?

Essa é uma dúvida muito comum:

 “Sou mãe e estou desempregada. O meu filho nasceu ou vai nascer em breve. Será que eu tenho direito?”

Como segurada, você tem direito aos benefícios concedidos pelo INSS, sendo o salário maternidade um destes benefícios.

  • Se você perdeu o emprego ou pediu demissão, você tem ainda 12 meses como segurada ao INSS. Esse período é conhecido como “período de graça”. 
  • Se você recebeu seguro-desemprego, você tem então mais 12 meses, resultando no total de 24 meses de auxílio.

Consulte sua carteira de trabalho e veja quando foi o seu último emprego. Se o seu filho já nasceu ou foi adotado dentro do “período de graça”, você tem direito ao salário maternidade pago pelo INSS, mesmo estando desempregada.

Como saber quanto vou receber de salário maternidade?

O cálculo do valor do benefício de salário-maternidade é a forma como os sistemas do INSS estão programados para cumprir o que está previsto na legislação em vigor. É este cálculo que define o valor inicial que vai ser pago mensalmente.

Acesse a página Valor do Salário-Maternidade, no site no INSS para saber quanto você receberá.

Quais os documentos necessários para dar entrada no salário maternidade?

Os documentos necessários são:

  • RG;
  • CPF;
  • Comprovante de residência;
  • Certidão de nascimento do(a) filho(a).

Atenção: você tem até cinco anos para requerer o benefício, desde que quando a criança nasceu você tivesse direito ao salário maternidade.

Por quantos meses você recebe o salário maternidade?

Salário-maternidade

A duração do salário-maternidade dependerá do tipo do evento que deu origem ao benefício:

  • 120 dias no caso de parto;
  • 120 dias no caso de adoção ou guarda judicial para fins de adoção, independentemente da idade do adotado que deverá ter no máximo 12 anos de idade;
  • 120 dias no caso de natimorto;
  • 14 dias no caso de aborto espontâneo ou previstos em lei (estupro ou risco de vida para a mãe), a critério médico.
Categorias
Desempregado

Desempregado [2021]: 10 Oportunidades de Renda Extra

Você sabia que pode ganhar um dinheiro extra trabalhando para você mesmo, sem sair de casa?

É verdade! Porém, muita gente não conhece como funcionam esses modelos de negócio que estão transformando as relações de trabalho (e gerando muito dinheiro para quem está fora do mercado formal).

Neste artigo iremos revelar:

  • 7 oportunidades para ganhar dinheiro trabalhando de casa (mesmo estando desempregado).
  • Estas 7 oportunidades são as favoritas de quem saiu da zona de conforto e está conseguindo fazer entre R$ 1.000 e R$ 10.000, em média, trabalhando por conta própria, sem patrão.

Vamos lá?

Oportunidade de renda extra 1: Venda o que você não usa mais

 

Quando se está desempregado, é importante organizar a vida e também a casa. Por isso, vender o que você não usa mais é o primeiro item da lista.

Nessa “faxina”, é importante estar de coração aberto para se desfazer de roupas, sapatos, acessórios, bolsas, bijuterias, eletrodomésticos e eletrônicos que você não usa mais.

Isso vai te ajudar a levantar uma grana logo de início, afinal:  

Se você vai vender doces, por exemplo, precisará reservar uma verbae inicial para investir no primeiro estoque de ingredientes, certo?

Assista o vídeo acima e veja como a Isis vendeu R$ 1.000 em menos de um mês pelo site Enjoei.com.br.

Ela também conta como usou o Instagram para captar clientes rapidamente. Tudo de casa, sem investir nenhum centavo.

Oportunidade de renda extra 2: Aulas em casa 

Lecionar aulas em casa sobre algum assunto que você domina é uma ótima maneira de ganhar dinheiro. E o melhor: você não precisa de nenhum tipo de investimento (apenas o seu tempo).

Veja só como as alternativas são variadas:

  • Aulas de reforço escolar (Português, Matemática, Biologia, Química, Física, etc.);
  • Aulas de idiomas; 
  • Aulas de culinária;
  • Aulas de artesanato;
  • Aulas de violão;
  • Aulas de iniciação à internet para idosos;
  • Aulas de massagem;
  • Aulas de cuidados com bebês para mães de primeira viagem (se você já é uma mãe ou pai experiente);
  • Etc.

Se o seu hobby é culinária, por exemplo, você pode reunir grupos pequenos e ensinar os alunos a fazer uma entrada, um prato principal e uma sobremesa para impressionar o crush!

O valor já pode incluir o material utilizado e os ingredientes. As aulas podem ser na sua casa ou na casa de um dos alunos. 

Moleza, né? 🙂

Oportunidade de renda extra 3: Cozinhar

Você também pode ganhar dinheiro cozinhando. Lembre-se de uma coisa: você investiu na sua cozinha e nos equipamentos que ela possui. Então, vale a pena usar essa infraestrutura para fazer um dinheiro extra, né?

Cozinhar pra fora é a atividade mais comum para quem está desempregado, exatamente por causa do baixo investimento que comentamos acima.

Basta apenas uma cozinha e uma boa matéria-prima.

Seus clientes podem ser:

  • Vizinhos;
  • Comércio do bairro;
  • Familiares;
  • Amigos que não têm tempo para cozinhar (e querem comer de forma saudável, comprando de alguém em quem confiam);
  • Mães que estão sem tempo para fazer comida (ou até papinhas) para os filhos e querem alguém de confiança para assumir essa função;
  • Etc.

No vídeo acima, você vai encontrar dicas de primeiros passos, quanto você pode ganhar, como definir os produtos, como controlar o estoque, como fazer compras, como fazer a gestão financeira e muito mais.

Oportunidade de renda extra 4: Marketing de Afiliado

Hoje em dia surgem muitos produtos digitais (ou seja, produtos desenvolvidos para utilização em computadores, celulares e tablets) de vários tipos:

  • Cursos online de formação profissional;
  • Cursos online de atualização profissional;
  • Cursos online para concursos públicos;
  • Revistas eletrônicas para profissionais de diversas áreas (Direito, Medicina, Estética, etc.);
  • Cursos online para apimentar relacionamentos;
  • Aplicativos e softwares online;
  • Ebooks e audiobooks;
  • Enfim, a lista é grande.

A questão é simples: um mercado digital precisa de produtos digitais. E é neste ponto que entram os programas de afiliação.

No vídeo acima, a influencer Nathalia Arcuri revela o que é o mercado de afiliados e como você pode ganhar muito dinheiro representando produtos digitais.

Oportunidade de renda extra 5: Assistente virtual

Outra forma de ganhar dinheiro sem sair de casa é trabalhar como assistente virtual.

Se você tem um computador com internet e uma linha telefônica, você tem o equipamento base para começar a trabalhar como assistente virtual.

Veja só como as buscas no Google por essa profissão têm crescido nos últimos anos:

Assistente virtual

 

 

 

 

 

No vídeo acima a Gabi Ferreira explica:

  • O que faz um assistente virtual;
  • Quanto ganha;
  • Onde trabalha.
  • Enfim, tudo que você precisa saber para começar a gerar renda extra com essa oportunidade, que ainda é pouco conhecida no Brasil mas está crescendo com uma velocidade impressionante.

Oportunidade de renda extra 6: Revenda de produtos

Revender produtos no ramo de beleza (como Natura, Avon, Mary Kary, Jequiti e Rommanel) é um boa forma de ganhar uma renda extra. Mas as dicas da Michelle Rachid vão muito além disso!

No vídeo acima, ela vai te mostrar o caminho mais seguro e estratégico para você começar a vender qualquer produto investindo pouco, ou seja, sem precisar montar um mega e-commerce ou coisa do tipo.

Você pode começar vendendo pelo Instagram e em sites especializados para representantes de produtos dos mais variados nichos.

Oportunidade de renda extra 7: Redator

Muitos sites e blogs compram conteúdo para alimentar suas plataformas. Então, se você escreve bem, essa pode ser a sua renda extra garantida. 

No vídeo acima, o Allan Portes te mostra como você pode fazer uma renda extra sem sair de casa, utilizando apenas seu computador, sua internet e seus dedos.

No final do vídeo ele revela 5 maneiras de começar a escrever para a internet de imediato (e já ganhando dinheiro)!

Dá o play!

Oportunidade de renda extra 8: Monte um Dropshipping

Isso é algo recomendado para as pessoas que estão mais familiarizadas com a internet.

O Dropshipping nada mais é que um sistema de venda na internet que utiliza estoques de terceiros, ou seja, você poderá vender produtos em um site, mas os produtos não precisarão estar necessariamente em sua residência e nem ser entregues por você. 

Isso quer dizer que você trabalha como um intermediador entre o consumidor e a empresa que realmente vende o produto.

Você pesca o comprador, ele compra e você encaminha a ordem de compra para a empresa que despacha o produto para o cliente. Empresas como: Mercado livre, Amazon, entre outras já são adeptas desse sistema.

O vídeo acima tem mais de uma hora de duração. Mas pode confiar: é um dos conteúdos mais completos sobre como montar um negócio de dropshipping do zero.

Oportunidade de renda extra 9: Motorista de aplicativo

Essa também é uma ótima saída para quem está querendo ganhar um dinheiro extra ou querendo trabalhar por conta própria.

Os motoristas de aplicativos, independente de qual plataforma seja, conseguem atingir altos ganhos dependendo da forma que trabalham.

Veja algumas dicas de motoristas experientes para você ganhar mais dinheiro rodando o mesmo número de horas:

  • Alguns motoristas preferem rodar à noite, quando o clima é mais ameno e é possível economizar mais por causa do ar condicionado.
  • Esteja disposto a trabalhar de madrugada. Para muitos, este geralmente é o horário mais lucrativo, especialmente na sexta-feira e sábado – o número dos motoristas diminui e as tarifas aumentam.
  • Uma hora dirigindo em horário de pico pode gerar mais do que 3 horas durante o meio da tarde.
  • Se você sabe que a região onde deixou o passageiro é boa, estacione imediatamente para economizar.
  • Não ligue o ar condicionado antes de pegar o passageiro. Ofereça e só ligue se ele quiser.
  • Saiba que o preço dinâmico (quando a taxa por quilômetro é mais cara) nem sempre vale a gasolina para chegar lá.

O vídeo acima é do canal Uber do Lucas, um dos principais canais para motoristas de aplicativos do Brasil.

Oportunidade de renda extra 10: Artesanato 

Essa dica é para pessoas que são boas em realizar trabalhos manuais, como por exemplo:

  • Pinturas em MDF;
  • Bolsas;
  • Roupas;
  • Almofadas;
  • Acessórios (brincos, pulseiras, etc.);
  • Entre outros trabalhos manuais.

Pode parecer que não, mas o artesanato é um mercado que tem crescido muito e trazido ótimos ganhos financeiros para muita gente.

Vender seu produto não é difícil, o importante é saber como se destacar. Lembre-se: a internet não é uma distração, mas uma ferramenta. Por isso, use-a!

No vídeo acima, a Karyne Otto dá 5 dicas para começar a ganhar dinheiro com artesanato. E mais: revela estratégias importantes para você conquistar clientes na internet de imediato, pois ela também é especialista em Marketing Digital.

Espero que você tenha gostado desse artigo sobre como ganhar um dinheiro extra sem sair de casa. Lembrando que, todo e qualquer negócio precisa de tempo e muita propaganda para gerar resultados. Por isso, tenha paciência e utilize todas as ferramentas que estiverem ao seu alcance para começar a fazer uma renda extra hoje mesmo. Confie em você!

Categorias
Desempregado

Pensão Alimentícia [2021]: Garanta Todos os Seus Direitos

A pensão alimentícia é a verba necessária para o custeio das despesas de quem não tem meios próprios de subsistência.

Neste artigo iremos revelar:

  • O que é a pensão alimentícia;
  • Como funciona a pensão alimentícia;
  • O valor a ser pago pelo pai;
  • Até quando o pai deve pagar a pensão alimentícia;
  • O que acontece se o pai não pagar a pensão alimentícia.

Vamos lá?

O que é o pensão alimentícia?

Pensão alimentícia é uma quantia fixada pelo juiz a ser paga pelo responsável, para manutenção dos filhos e/ou do outro cônjuge

Como funciona a pensão alimentícia?

A pensão nada mais é que um valor que deverá ser pago todos os meses por alguém que tem a obrigação de auxiliar no sustento de outra pessoa.

A quantia é determinada pelo juiz para manutenção dos filhos e/ou cônjuge.

Qual o valor que um pai tem que pagar de pensão alimentícia?

De acordo com o advogado Pedro Lessi (Lessi & Lawyers Associated), a Lei de Alimentos (5478/68) não fala a respeito de valores e percentuais.

Porém, a jurisprudência fixou o entendimento de que a pensão deve girar em torno de 33% (ou um terço) dos ganhos líquidos (ou seja, o valor bruto do salário, menos o valor do Imposto de Renda e INSS) do pai, independente do número de filhos.

Até quando o pai deve pagar pensão alimentícia?

  • Se não estudarem, os filhos têm direito à pensão alimentícia até que atinjam a maioridade, ou seja, até os 18 anos de idade.
  • Se estudarem, os filhos têm direito à pensão até que se formem ou completem 25 anos (o que vier primeiro).

O que acontece quando o pai não paga a pensão alimentícia?

A lei está mais dura com quem não paga pensão alimentícia.

“Já é possível pedir a prisão do devedor da pensão, em regime fechado, com um mês de atraso. E esse ponto é muito bom, porque vai assustar mais. O devedor ficará preso até dar um jeito de pagar.”(Sáloa Neme da Silva, advogada do Direito da Família). 

De acordo com o Novo Código de Processo Civil, o devedor pode pegar até três meses de prisão em regime fechado se atrasar a pensão alimentícia

Categorias
Desempregado

PIS [2021]: Como Receber Sem Perder Dinheiro

O Programa de Integração Social (PIS) e o Programa de Formação do Patrimônio do Servidor (PASEP) foram criados pelo governo federal em 1970, com o objetivo de promover a integração dos trabalhadores na vida e no desenvolvimento das empresas.

Neste artigo vamos revelar:

  • O que é o PIS;
  • Como funciona o PIS;
  • Como saber se você tem direito ao PIS;
  • Como consultar o PIS;
  • Como sacar o PIS;
  • E muito mais.

O que é o PIS?

PIS e o PASEP têm o objetivo de financiar o pagamento do seguro desemprego, abono e participação na receita dos órgãos e entidades, para os trabalhadores públicos e privados. 

  • O PIS é destinado aos que atuam no setor privado;
  • O PASEP aos funcionários e servidores públicos.

Como funciona o PIS?

Para ter acesso aos benefícios do Programa PIS/PASEP, o trabalhador deve ser cadastrado pelo empregador no ato de sua primeira admissão, ou seja, no seu primeiro emprego, e uma única vez.

Como saber se você tem direito ao PIS?

Para saber se você tem direito ao PIS, é importante considerar os requisitos abaixo:

  • Estar cadastrado no PIS há pelo menos 5 anos;
  • Ter recebido remuneração mensal média de até 2 salários mínimos durante o ano-base;
  • Ter exercido atividade remunerada para Pessoa Jurídica, durante pelo menos 30 dias, consecutivos ou não, no ano-base considerado para apuração;
  • Ter seus dados informados pelo empregador (Pessoa Jurídica) corretamente na Relação Anual de Informações Sociais (RAIS).

Como consultar o PIS?

Para consultar o PIS, siga os passos abaixo:

  1. Acesse o site Meu INSS;
  2. Clique em “Entrar” (no canto superior direito);
  3. Selecione “Cadastre-se”;
  4. Preencha os dados solicitados (CPF, data de nascimento, nome, e-mail, celular, nome da mãe e estado);
  5. Clique em “Próxima”;
  6. Anote a senha que o sistema vai criar para você;
  7. Informe seu CPF e a senha;
  8. Faça o login e altere a senha para uma de sua preferência;
  9. Acesse novamente, desta vez com a sua senha.

Fácil, né?

Como fazer a retirada do PIS?

  • Para valores até R$ 3.000,00, o saque pode ser realizado com o Cartão do Cidadão e senha no autoatendimento, lotéricas e correspondente CAIXA.
  • Para valores acima de R$ 3.000,00, os saques devem ser feitos nas agências CAIXA, mediante apresentação de documento oficial de identificação com foto.

Quando posso receber o abono salarial?

Todo início do mês de julho, o CODEFAT emite um calendário com as datas de recebimento do abono salarial.